Fotos: Pamela Guimarães




AgradecimientosMaria Eugênia Matricardi, Diana Daf, Bia de Medeiros, Rose Boaretto, Picart Motuzas, Mariana, Dani Felix, Tiago Sant'Ana, Lucas Moreira, Pamela Guimarães, João Matos
 y todos los que integraron MOLA II.



Lagarta do Fogo
por Tzitzi Barrantes


 En español:

Uno varios palos de madera carbonizados con una tela roja, la tela se convierte en una columna vertebral que los articula. Atravieso la calle colocando todos estos palos sobre mí, no camino, me arrastro.

Mi cuerpo es otro, en continua transformación. Quiebro por la mitad los palos, la tela roja se libera para cubrir mi cabeza. Luego transporto en una carretilla todos los palos quebrados en dirección al cementerio. María Eugênia Matricardi me acompaña durante el recorrido, alternando el peso de la carretilla, el camino es largo y el sol ardiente. Al llegar ocupo una fosa, aún vacía, María Eugênia me entierra, para ser otra y ser yo misma, para que mi constante transformación devenga en lo que quiera devenir. Finalmente amarro la tela roja, rodeando un árbol donde viven muchas lagartas de fuego. Me sorprendo cómo estos animales diminutos se reúnen y configuran un gran cuerpo amorfo. Un otro cuerpo.

 

En portugués:

Uno vários troncos de madeira carbonizados com um fio de tecido vermelho, o fio se transforma em uma coluna vertebral e os articula. Atravesso a rua com todos esses troncos sobre mim, não caminho, e me arrasto.

Meu corpo é outro, em contínua transformação. Parto ao meio os troncos de madeira, o tecido vermelho se libera para cobrir minha cabeça. Em sequência transporto em uma galeota todos os troncos repartidos em direção ao cemitério. Maria Eugênia Matricardi acompanha-me durante o percurso, revezando o peso da galeota, o caminho é longo e o sol ardente. Ao chegar ocupo uma cova, ainda vazia, Eugênia me enterra. Para que possa ser outra e eu mesma, para que minha constante transformação seja ela mesma o meu devir. Enfim amarro o fio de tecido, o enlaço em uma arvore onde vivem a se multiplicar lagartas de fogo. Deparo-me com estes animais diminutos que se agrupam e configuram um imenso corpo amorfo. Um outro corpo.

Tradução: Lucas Moreira

 

















Lagarta do Fogo
(Lagartas de Fuego)
Invitada: Maria 
Eugênia Matricardi

19 de marzo/13
Arraial D'Ajuda
(Bahía, Brasil)